Giovanna O. Silva

Toyotismo é o modelo japonês de produção, criado pelo japonês Taiichi Ohno e implantado nas fábricas de automóveis Toyota, após o fim da Segunda Guerra Mundial. Nessa época, o novo modelo era ideal para o cenário japonês, ou seja, um mercado menor, bem diferente dos mercados americano e europeu, que utilizavam os modelos de produção Fordista e Taylorista. Toyotismo é um sistema de organização voltado para a produção de mercadorias. O Toyotismo espalhou-se a partir da década de 1960 por várias regiões do mundo e até hoje é aplicado em muitas empresas.
A ideia principal era produzir somente o necessário, reduzindo os estoques produzindo em pequenos lotes, com a máxima qualidade, trocando a padronização pela diversificação e produtividade. As relações de trabalho também foram modificadas, pois agora o trabalhador deveria ser mais qualificado, participativo e polivalente, ou seja, deveria estar apto a trabalhar em mais de uma função.

O Modelo Toyota

...É assim, pelo aperfeiçoamento constante ou, talvez eu devia dizer, pela melhoria baseada na ação que podemos alcançar um nível mais alto de praticas e de conhecimento”
Essa frase de Fujio Cho, presidente da Toyota, revela o pensamento pelo qual a empresa é administrada. Visão que é muito admirada, pois fez a Toyota se destacar no mercado automotivo, não pelo design ou desempenho dos carros, mais sim pela forma que concebia e fabricava seus veículos.
Com a excelência operacional sendo uma estratégia, foi adquirindo uma reputação de qualidade e uma consistência no desempenho, baseando-se em métodos de melhoria de qualidade e ferramentas como Just-in-time, fluxo unitário de peças, autonomação (jidoka) e nivelamento de produção (heijunka).
A Toyota sempre deixou claro que técnicas e ferramentas não são o bastante para modificar o desempenho, mais que o sucesso operacional origina-se na filosofia empresarial baseada em compreensão e motivação das pessoas.
Utilizando também dos “4Ps” – Filosofia, Processo, Pessoal/Parceiros e Solução de Problemas, que juntamente com Gengi Genbutsu, Kaizen, Respeito e Trabalho de Equipe e Desafio, formam o DNA da empresa.

  
A Toyota criou seu próprio Sistema de Produção, conhecido como STP, que com uma boa aplicação em todas as áreas da empresa, resulta na “produção enxuta”.
O objetivo de a Toyota criar essas ferramentas era eliminar os desperdícios de tempo e de material em cada passo do processo de produção, visando à necessidade de processo rápidos e flexíveis que deem aos clientes  o que eles desejam, quando desejam com o máximo de qualidade e  custo interessante.
As ferramentas de apoio aplicadas ao conceito enxuto, como troca rápida de ferramentas, trabalho padronizado, sistemas de puxar e verificar erros são fundamentais para a criação do fluxo.
Mas a chave do STP está no compromisso administrativo da empresa, com o investimento no pessoal e produção, além da promoção de uma cultura de melhoria contínua.
A Toyota tomou a iniciativa de criar o TSSC (Toyota Supplier Support Center) que ensinaria empresas americanas sobre o STP, criando um projeto enxuto para cada uma, que consistia em transformar uma linha de produção de uma empresa com ferramentas e métodos do STP.
Com a consultoria da TSSC pode-se perceber que muitas das empresas que se diziam ser enxutas, não compreendiam o que faz funcionar todas as ferramentas em um sistema.
A Toyota integra todos de uma forma homogenia desde os executivos até os funcionários de fabricação, desafiando as pessoas a utilizarem sua iniciativa e criatividade para experimentar e aprender. Tornando–se assim uma organização de aprendizagem que esteve evoluindo durante a maior parte do século.
A Toyota deu um exemplo de que se precisa aperfeiçoar e inovar constantemente para permanecer à frente da concorrência e evitar tornar-se monótono.
ü  Eliminando o desperdício de tempo e de recursos;
ü  Construindo qualidade nos sistemas do local de trabalho;
ü  Descobrindo alternativas confiáveis de baixo custo para a tecnologia nova e dispendiosa;
ü  Aperfeiçoando o processo administrativo;
ü  Construindo uma cultura de aprendizagem para a melhoria contínua.
Utilizando esses princípios para melhorar a qualidade, eficiência e velocidade. O Modelo Toyota é uma lição, uma visão e uma inspiração para qualquer organização que queira ser bem sucedida em longo prazo.
Principais características do Toyotismo:
- Mão-de-obra multifuncional e bem qualificada. Os trabalhadores são educados, treinados e qualificados para conhecer todos os processos de produção, podendo atuar em várias áreas do sistema produtivo da empresa.
-Team work (trabalho em equipe) – os trabalhadores passaram a trabalhar em grupos, orientados por uma líder. O objetivo é de ganhar tempo, ou eliminar os “tempos mortos”.
- Sistema flexível de mecanização- A produção deve ser ajustada a demanda do mercado. Produzir apenas o necessário, reduzindo os estoques ao mínimo.
- Uso de controle visual em todas as etapas de produção como forma de acompanhar e controlar o processo produtivo.
- Implantação do sistema de qualidade total em todas as etapas de produção. Além da alta qualidade dos produtos, busca-se evitar ao máximo o desperdício de matérias-primas e tempo. Todos os trabalhadores, em todas as etapas da produção são responsáveis pela qualidade do produto e a mercadoria só é liberada para o mercado após uma inspeção minuciosa de qualidade.
- Aplicação do sistema Just in Time (na hora certa): ou seja, produzir somente o necessário, no tempo necessário e na quantidade necessária.
- Kanban (etiqueta ou cartão) – método para programar a produção, de modo que o Just in time se efetive.
- Uso de pesquisas de mercado para adaptar os produtos às exigências dos clientes.
- Automatização – utilizando máquinas que desligavam automaticamente caso ocorresse qualquer problema, um funcionário poderia manusear várias máquinas ao mesmo tempo, diminuindo os gastos com pessoal.

Fontes:
LIKER, Jeffrey K. /O Modelo Toyota: 14 Princípios de Gestão do maior fabricante do mundo / Porto Alegre: Bookman, 2005. Pág.25 Capitulo 1.
2 Responses

  1. Em parceria com a Google e com o Grupo VIP oferecemos telas mosquiteiras SP importadas dos estados unidos aos clientes que querem proteção e bem-estar para sua família, isto porque o produto não propaga chamas, fungos ou mofos, são telas de fácil limpeza e protegem sua família contra picadas de insetos, principalmente os mosquitos da dengue. Telas mosquiteiras em São Paulo, telas mosquiteiras campinas, telas mosquiteiras valinhos, telas mosquiteiras vinhedo, telas mosquiteiras granja vianna, telas mosquiteiras alphaville, telas mosquiteiras tamboré , telas mosquiteiras jundiai.

    telas mosquiteiras para idústrias de alimentos , telas mosquiteiras SP, telas mosquiteiras empresas químicas, telas mosquiteiras vinhedo, telas mosquiteiras granja vianna, telas mosquiteiras alphaville, telas mosquiteiras tamboré , telas mosquiteiras SP.



  2. Em parceria com a Google e com o Grupo VIP oferecemos telas mosquiteiras SP importadas dos estados unidos aos clientes que querem proteção e bem-estar para sua família, isto porque o produto não propaga chamas, fungos ou mofos, são telas de fácil limpeza e protegem sua família contra picadas de insetos, principalmente os mosquitos da dengue. Telas mosquiteiras em São Paulo, telas mosquiteiras campinas, telas mosquiteiras valinhos, telas mosquiteiras vinhedo, telas mosquiteiras granja vianna, telas mosquiteiras alphaville, telas mosquiteiras tamboré , telas mosquiteiras jundiai.

    telas mosquiteiras para idústrias de alimentos , telas mosquiteiras SP, telas mosquiteiras empresas químicas, telas mosquiteiras vinhedo, telas mosquiteiras granja vianna, telas mosquiteiras alphaville, telas mosquiteiras tamboré , telas mosquiteiras SP


Postar um comentário